A abusiva taxa de conveniência para a compra de ingressos

Saiu hoje (11) uma matéria muito interessante no caderno de economia do jornal Estadão sobre a cobrança abusiva – e alta – da taxa de conveniência pelos sites de venda de ingressos. Algumas empresas chegam a cobrar 20% do valor do ingresso para o serviço online – o que não inclui a entrega.

Segundo o jornal, a cada cinco ingressos comprados pela internet, o brasileiro gasta o equivalente a um novo bilhete somente com a taxa de conveniência. A Fundação Procon considera essa prática extremamente abusiva e já mandou multas milionárias às empresas. Essas, por sua vez, dizem ser necessária a cobrança já que o serviço exige uma grande infraestrutura. O Procon de SP vai mais longe: “A taxa remunera uma conveniência que não existe… Hoje o cliente paga pelo simples fato de usar um desses canais de venda, o que não faz sentido, já que é algo inerente ao serviço prestado por essas empresas”, diz o diretor de fiscalização do órgão, Renan Ferraciolli.

Um dos fatores mais questionáveis em cima dessa prática, que segundo pesquisa varia de 15% a 20%, é a cobrança porcentual em cima do valor do ingresso, já que o serviço é igual independentemente do tipo de acomodação, portanto não faz sentido cobrar valores diferentes. Outro item questionável é cobrar por ingresso vendido e não por compra, então se o consumidor fizer uma compra de dois ingressos, em vez de pagar uma taxa única pelo serviço, ele acaba pagando a taxa dobrada, o que é ridículo.

O Estado do Rio de Janeiro decretou uma lei, no final do ano passado, que estabelece um valor fixo de taxa de serviço para qualquer ingresso e espetáculo e cobrado por compra, independentemente da quantidade de bilhetes adquiridos. Apesar de ser um avanço na defesa do consumidor, a lei não está sendo cumprida e a cobrança por porcentual ainda é praticada.

Ferraciolli, do Procon de SP, diz que o Legislativo irá entrar na briga mais cedo ou mais tarde, caso as empresas continuem praticando esses abusos. Em contrapartida, os sites de venda se defendem dizendo que a taxa de conveniência é cobrada em função da “comodidade e do conforto”.

Bom, não podemos nos esquecer que o valor do ingresso no Brasil é um dos mais altos do mundo, junte a isso a taxa de conveniência e a de entrega. Ah, algumas empresas cobram inclusive taxa de entrega mesmo quando a opção é retirar no local. É brincadeira, não é?

Veja abaixo o valor da taxa dos principais sites de compra de ingressos:

Ingresso Fácil – 15% sobre o valor do ingresso

Ingresso Rápido – 18% sobre o valor do ingresso

Ingresso.com – 15% sobre o valor do ingresso

Ingressocerto.com – 20% sobre o valor do ingresso

Tickets for Fun – 20% sobre o valor do ingresso

3 pensamentos sobre “A abusiva taxa de conveniência para a compra de ingressos

  1. Guilherme disse:

    O Boris diria: ISSO É UMA VERGONHA!!! Somos todos uns trouxas!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s