The Black Keys, a bola da vez

O due The Black Keys

Nas últimas semanas tenho visto diversas matérias sobre o The Black Keys. Veja, Estadão, Popload, NME, só para citar algumas. Esse burburinho todo em torno da dupla faz sentido.

O duo formado pelo baterista Patrick Carney e o vocalista e guitarrista Dan Auerback já não são novidade. Ganhadores de três merecidos Grammy, o grupo lançou recentemente o seu sétimo e elogiadíssimo álbum “El Camino”. “Brothers”, o disco anterior, era igualmente excelente – ganhou em 2011 o prêmio de melhor álbum de rock -, mas, talvez, um aquecimento para o que vinha a seguir.

A verdade é que os caras são bons. Eles vêm sendo aclamados como os responsáveis pelo salvamento do rock’n’roll, um elogio e tanto. O som é o mais puro clasic rock com todas as influências e princípios básicos que o gênero traz, como, por exemplo, o blues. Mas engana-se quem acha que as músicas vêm com cheiro de mofo, pelo contrário, o som tem vitalidade impressionante, e a cada álbum que lançam, isso fica mais aparente.

Bom, mas aí você me pergunta, por que tanta falação só agora? Segundo a revista Veja – e eu concordo -, há certos momentos na carreira de um artista que marcam esse turn point (em tradução livre, algo como o momento da virada), que pode ser um papel incrível no cinema ou televisão e, geralmente, para cantores e grupos, é um álbum. Neste caso, o disco da virada foi “El Camino”, que lançado em dezembro de 2011, foi direto para o segundo lugar da Billboard. O due sempre teve qualidade, mas muitas vezes a dupla era colocada num patamar mais alternativo, até pelo rock mais grosseiro e sujo, por assim dizer. Anos de estrada, palco e estúdio fizeram a diferença e transformaram o bruto, em talento lapidado. Mas nada veio fácil. Os meninos enfim conquistaram o merecido sucesso, mesmo que seja depois de quase uma década amargando o segundo escalão das grandes bandas do rock.

O disco da virada "El Camino"

Hoje, conquistaram – com muito suor e aperfeiçoamento – o crédito para serem um dos headlines do famoso festival de música Coachella. Em março, farão duas apresentações em um dos maiores templos de shows do mundo, Madison Square Garden, em Nova York, onde os ingressos do primeiro concerto se esgotaram em 15 min, e o segundo, em um dia e meio. Há grandes possibilidades de fazerem o terceiro, ainda sem data prevista. Ah, e detalhe, a banda de abertura para turnê mundial da dupla é nada mais nada menos que o grupo Arctic Monkeys. Black Keys quase fecharam para tocar na versão brasileira do Lollapalooza – se não fosse o conflito de agendas -, mas fiquem calmos, porque os meninos falaram que é quase certo que virão para o segundo semestre. Tomara!

Veja o vídeo clip, que foi gravado em um show do duo, no Webster Hall, em NY, no lançamento do disco “El Camino”. Como disse Lúcio Ribeiro, do blog Popload, o vídeo é o testemunho, em imagens, do salvamento do rock. Vida longa ao bom e velho rock’n’roll!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s